sábado, 3 de agosto de 2013

APRENDENDO A PACIÊNCIA Por Suzanne Lie PhD Em 06 de julho de 2013

Hoje encontrei algo que escrevi há um tempo: Esta semana eu tive um sonho em que eu estava ascendendo. Por volta das 3 da manhã eu acordei de repente e ouvi em minha cabeça: "Acabo de ter um sonho com a ascensão". Mas eu não podia me lembrar de como ele fora. Então, é claro, eu tive de ir ao banheiro. Quando voltei para a cama, tentei me lembrar outra vez como fora, mas fui distraída porque meu corpo estava muito quente. A noite não estava quente, e o calor vinha de dentro, não de fora de mim. Deitei na cama e por um tempo senti o intenso calor dentro de mim. No final, caí novamente no sono. Pela manhã eu me lembrava da experiência, mas ainda não conseguia me lembrar de como fora o sonho. Felizmente, eu tinha uma aplicação de acupuntura naquele dia e determinei que me lembraria de como fora meu sono durante ela. Quando estava na acupuntura, levou um tempo para retornar ao sonho, mas gradualmente eu comecei a me ver no que parecia uma nuvem. Eu estava em posição vertical com minhas mãos para baixo e lentamente eu estava me elevando. Porém, logo após um pequeno momento, eu senti uma sensação de puxão em meus pés, o que parou meu movimento ascendente. Conscientizei-me de que havia alguma coisa que eu tinha que liberar. Eu não sabia o que era e nem se era importante. A única coisa importante era que eu tinha que liberar para que pudesse continuar minha ascensão. Portanto, respirei longamente e me disse: "Vá!". Instantaneamente eu retornei à minha ascensão lenta, mas constante. Mas não demorou muito e eu senti o puxão outra vez. Desta vez eu sabia o que fazer. Respirei longamente e disse: "Vá!". E assim foi, de novo e de novo eu tinha que deixar ir, nunca sabendo o que eu estava liberando. Eu apenas sabia que a ascensão era mais importante e que eu tinha que continuar. Finalmente eu comecei a subir mais depressa e os puxões diminuíram muito. Foi quando eu vi algo vindo lá de cima. Controlando minha expectativa, eu pacientemente (eu não me dou muito bem com a paciência) continuei a flutuar de uma maneira ascendente em direção ao desconhecido. Pensamentos vaguearam por minha mente, mas eu podia facilmente ignorá-los, e eu comecei a sentir a euforia das dimensões superiores. Minha forma começou a formigar, meu coração se abriu e meu Terceiro Olho passou a focalizar o objeto desfocado acima de mim. Finalmente, todos os pensamentos foram liberados e minhas emoções eram somente uma sensação de expectativa e maravilha. Os puxões pararam completamente, o deixar ir era constante. Eu estava vivendo em Entrega, e parecia natural. Eu sentia uma luz emanando de mim e meu corpo parecia extremamente quente. Então vi uma luz provinda de cima que parecia o raiar do dia chegando numa manhã escura. Conforme eu me aproximava da luz, o objeto acima de mim ficava crescentemente claro. Era um orbe com um rosto, que eu não conseguia reconhecer, pois a luz estava muito forte. Conforme o rosto ficava mais e mais perto, eu ainda não podia reconhecê-lo, mas eu SABIA quem era. Ele era eu. Era o rosto do meu EU. Durante a semana, eu me lembrava daquele EU, mas eu só conseguia quando podia "deixar ir" o drama, a confusão, o trânsito, a conta não paga, etc., etc.. Não era difícil deixar ir, mas era muito difícil me lembrar de deixar ir. O sonho deixou muito claro que há inúmeras escolhas que devem ser feitas em todos os momentos de nossa vida quanto aonde decidimos colocar nossa atenção. Se nós escolhemos colocar nossa atenção naquilo que perturba nossa paz de alguma forma, nós perdemos de vista o Rosto de nosso EU e mergulhamos nos dramas e na dissonância da vida 3D. Eu queria poder dizer que estou totalmente mudada e que eu não coloco mais minha atenção naquilo que me aborrece. Mas esta não seria uma declaração verdadeira. Para ser honesta comigo e com vocês, eu teria que dizer que eu assumi o desafio de viver esse sonho. Portanto, agora estou mais consciente de "ser puxada por alguma coisa", mas normalmente fico ciente dela somente após ter caído nela. Por outro lado, quando eu posso imediatamente escolher deixar ir e viver em entrega, eu estou completamente consciente de minha capacidade de escolher a vida que estou criando. As energias orientando para o dia de hoje têm sido MUITO intensas, rápidas, confusas, perturbadoras E transformadoras. Nossa Alma tem nos chamado, enquanto nosso ego tem puxado nossa manga. Nosso processo de ascensão começou e, como em todos os processos, a parte mais difícil é libertar-se da inércia. Portanto, nós temos que fazer algo diferente todos os dias. Meu pai sempre costumava dizer: "Estudo demorado, estudo errado". Ele também dizia: "Faça alguma coisa, mesmo que seja errada". O que ele queria dizer com isso é que nós podemos ficar travados tentando sempre estarmos certos. Se cometermos um erro, se nos focalizarmos no medo novamente, está TUDO BEM. O importante é que percebamos - no final! É o nosso ego que quer que sempre estejamos certos, porque nossa Alma ressoa além de toda a polaridade. Então, não há certo ou errado. Somente há ação. É pela ação que nós aprendemos e nós aprendemos enquanto prosseguimos. NÓS estamos criando nossa ascensão! E nós a estamos criando AGORA! Feliz 10-10-10. Eu havia me esquecido completamente de que tinha escrito isto. Na verdade, eu tinha me esquecido até de que tivera essa experiência. Escrevo isto agora para nos lembrarmos de que tudo que devemos ter é paciência com este processo de ascensão. A impaciência cria raiva e raiva cria medo. Então, o medo abaixa nossa consciência e coloca nosso processo de ascensão em pausa até conseguirmos voltar ao amor - o amor incondicional! O caminho da ascensão é pavimentado com paciência. Nós estamos acostumados a pensar no tempo humano, mas nós realmente estamos deixando o tempo. Portanto, pensar em "tempo" nos vincula ao paradigma tridimensional, do qual estamos tentando nos libertar. Na verdade, "tentar" também cria raiva, a qual abaixa nossa consciência. Muitas pessoas perguntam aos Arcturianos: "O que eu posso FAZER para facilitar minha ascensão?". Os Arcturianos sempre dão a mesma resposta: "Faça o que você ama!". O Amor é um ato de deixar ir porque o amor é baseado na fé e na entrega. Se não podemos nos entregar ao nosso amor, ele resseca por falta de nossa constante conexão. Aqueles de vocês que estão em um relacionamento amoroso com algum ser - marido, esposa, filhos, amigos, animais, jardim, trabalho, projeto criativo - sabem que vocês devem manter seu coração conectado a esse amor para mantê-lo. Da mesma maneira, nós devemos manter nosso coração conectado ao nosso processo de ascensão. É útil anotar suas experiências de ascensão, pois elas podem ser esquecidas na luta da vida diária. Então, um dia, quando vocês sentirem que nunca viram um "sinal real" de sua ascensão, vocês podem se deparar com um sonho ou uma meditação ou um breve momento que vocês vivenciaram anos atrás para confirmar que vocês ESTÃO ascendendo. Aí então vocês podem aprender a paciência. Além disso, tal como vocês precisam dispensar "tempo" com seu amado, vocês se lembrarão de que precisam dispensar tempo com o seu EU em um local ou situação que vocês AMAM. É isto que estou para fazer. Eu amo estar entre as sequoias, então é para onde estou indo com meu marido. Não sei o quanto conseguirei postar no Blog, pois a Internet normalmente é difícil. Entretanto, enviarei a vocês todo o meu amor incondicional e o SENTIR de estar na Natureza. Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com Tradução: Blog SINTESE http://blogsintese.blogspot.com http://blogsintese.blogspot.com.br/2013/08/aprendendo-paciencia.html